RBS oferece curso intensivo de ataque aos Rodoviários em Porto Alegre

28/jan/2014, 15h22

*Júlio Câmara

O Grupo RBS está ministrando, através  de seus veículos, um cursinho intensivo sobre como atacar movimentos sociais e defender o lucro dos empresários de ônibus de Porto Alegre.

A motivação do momento, que está enervando a elite de Porto Alegre, é a greve dos rodoviários que lutam pelo reajuste salarial de 14% sem aumento na passagem de ônibus. Acontece que aqui tocamos em um ponto que faz tremer a alta burguesia da cidade: a redução do lucro dos empresários do transporte coletivo que financiam as campanhas eleitorais do prefeito e da maioria dos vereadores.

Esses empresários realmente se lambuzam na piscina de dinheiro que é o transporte coletivo em Porto Alegre. Antes das grandes mobilizações de 2013, aumentavam o preço da passagem sem qualquer debate com a sociedade e sem justificar o valor do aumento que na maioria das vezes era maior que a inflação. Também é nesta cidade que, de acordo com o Ministério Público Estadual, não há licitação para concessão do transporte coletivo desde 1989 – ou seja, as empresas atuam de forma ilegal.

Em um dos módulos do curso da RBS, o professor é o colunista Paulo Sant’ana. Em alguns minutos, Paulo Sant’ana – que nunca chamou de criminosos o prefeito e os empresários pelas falcatruas que fazem – coloca para fora todo o nojo que sente da organização dos trabalhadores em busca de uma vida mais digna. Termina defendendo que qualquer ônibus da região metropolitana possa atender Porto Alegre mesmo que os motoristas não ganhem a mais pelo maior fluxo de passageiros. E para os grevistas contrários à sua ideia, seu desejo é expresso sem ressalvas: cadeia para eles!

Precisamos reconhecer que o Paulo Sant’ana não pode ser levado a sério há muito tempo. Entre suas últimas declarações que tocaram o coração dos porto-alegrenses, o colunista da Zero Hora sugeriu a demolição do Mercado Público para a construção de um shopping center moderno e com estacionamento.

Em reportagem no seu site, a Zero Hora elegeu o prefeito José Fortunati uma autoridade em transporte para jogar dúvidas sobre a luta dos rodoviários, sugerindo que há um acordo entre grevistas e patrões. É fato que os motoristas e cobradores estão travando uma batalha dura para democratizar seu sindicato que ainda é dominado por uma máfia que obedece aos patrões, mas também é fato que os trabalhadores colocaram o sindicato contra a parede votando a favor da greve em uma assembleia com mais de mil rodoviários.

A insinuação do jornal e do prefeito é de que a greve é organizada pelos empresários em busca de uma justificativa para aumentar o preço da passagem. Deixam de reconhecer o MIR – Movimento Independente dos Rodoviários que é claro na exigência do reajuste de 14% sem aumento na passagem e está tocando a greve independente do sindicato. O objetivo não é prejudicar os estudantes, trabalhadores e donas de casa, mas sim diminuir o lucro dos empresários para que tenhamos um transporte público de qualidade. E, se eles quiserem conversar sobre isso, precisam, antes de mais nada, abrir suas planilhas de custos, gastos e rendimento para que o povo saiba quanto estão nos roubando em todos esses anos.

Publicado originalmente em Jornalismo B: http://jornalismob.com/2014/01/28/rbs-oferece-curso-intensivo-de-ataque-aos-rodoviarios-em-porto-alegre/

Foto:  Juliana Serafini Lemchen / Juntos! Porto Alegre

*Júlio Câmara é estudante de Jornalismo da UFRGS, membro do Grupo de Trabalho Nacional e militante do Juntos! RS.

Vem aí...

Acampamento Internacional das Juventudes em Luta: Rio de Janeiro, abril de 2017