A União dos Estudantes é nas ruas! (sobre o 17º CONUPES)

17/abr/2014, 18h28

*por Juntos Campinas

Nesse 2014, as greves/mobilizações e a indignação da juventude diante da política enquanto balcão de negócios mostram a força que temos para buscar um outro futuro. Esse sentimento de solidariedade aos que lutam tem seus inimigos: Os governos federal, estaduais e municipais que vendem o Brasil para a Fifa e seus patrocinadores, que sabotam os trabalhadores, que reprimem e sufocam com toda a força do aparato militar os movimentos populares, que sucateiam a educação. Foi nesse cenário que participamos do 17º Congresso da União Paulista dos Estudantes Secundaristas (UPES), realizado no último fim de semana em Americana.

Há dois meses do início da Copa da FIFA – num dos momentos políticos mais ricos em nosso país nos últimos 30 anos, em que fica cada vez mais difícil defender o mega-evento e seu suposto legado para o povo – o congresso tinha tudo para organizar a indignação dos secundaristas de SP, em escolas que mais ensinam a obedecer do que a pensar, que impedem a livre construção de grêmios estudantis combativos.

O que vimos, porém, foram as juventudes governistas (que dirigem a entidade) optando por esconder o principal debate que tá na boca do povo e realizar um congresso apático, vazio e burocrático. Afinal de contas, os estudantes presentes não poderiam saber que a UPES é mais uma União de Estudantes (comumente controladas pelas UJS) que defende com unhas e dentes o mega-evento da Fifa. Como responderiam o por quê de haver mais de R$ 20 bilhões para a Copa mas não haver dinheiro para a Educação? Como responder sobre as remoções e destruição de comunidades para construção de estádios luxuosos? Como responder sobre as mortes de operários nas obras da Copa por falta de segurança para os trabalhadores? E tudo isso para depois o povo não poder acessar os jogos porque os ingressos custam uma fortuna!

go home1

O que rolou nesse 17º Congresso da UPES?

O slogan “Universidade Pública é pra lá que eu vou” apresentado no congresso se contradiz com o apoio à Copa da Fifa e aos planos dos governos de implementá-la às nossas custas. A direção da UPES esperava mais de 1500 estudantes para o que foi propagado antes e depois da realização como o “maior congresso da história da UPES”… mas não reuniu 1/4 disso. Mas também, como querer um congresso cheio se não havia nenhuma informação acessível aos estudantes? Se não havia informação desde de como fazer as eleições nas escolas, até o endereço e a programação do congresso não estavam nem no site nem no facebook da UPES, nem da UBES. O esvaziamento do espaço demonstra um forte afastamento da direção da entidade das principais questões debatidas e enfrentadas nas ruas, assim como sua burocratização para manter os cargos de uma UPES fantasma.

O que as/os estudantes podem fazer?

Encerramos o texto com boas notícias: O esvaziamento do congresso se dá com as ruas mais ocupadas do que nunca, com a juventude querendo e podendo decidir seu futuro. Agora é hora de agitarmos o #FORAFIFA em cada escola do país, de reivindicarmos esses investimentos nas escolas, em bons salários para os professores, em cultura e lazer para nossos rolezinhos, em um outro futuro. Enfrentaremos a perseguição que as diretorias fazem àqueles que se movimentam e lutam, assim como seguimos enfrentando a repressão dos governos aos manifestantes desde junho de 2013. Vamos organizar os estudantes JUNTOS por uma educação de qualidade e por uma cidade para todos!

Vem aí...

Acampamento Internacional das Juventudes em Luta: Rio de Janeiro, abril de 2017