Na Copa da Manifestações, a USP vai virar o jogo!

26/maio/2014, 11h33

*Por Juntos USP!

No pé de quem está a bola da Copa do Mundo no Brasil hoje? Desde 2007, quando fomos escolhidos para sediar esse evento, a aposta dos grandes poderosos é de que quem comandaria o jogo seria apenas a FIFA, as grandes empreiteiras e as empresas patrocinadoras.

Mas agora, a menos de 20 dias da Copa, vemos outro cenário. A bola está no pé do povo que luta.

E a grande novidade é que a USP – junto com UNESP e UNICAMP – também entra em campo. Estamos em greve geral! E a luta pela educação pública e gratuita, em aliança com os demais movimentos sociais, como o MTST, pode virar o jogo no Brasil! Não há porque ter a Copa dos ricos se nossos direitos não são garantidos!

Para virar o jogo na USP!

Rodas, Zago, Alckmin e grande mídia: todos no mesmo time!

Nossa mobilização na USP está apenas começando, mas nossos adversários são claros e jogam no mesmo time. Rodas torrou o dinheiro da universidade em obras de interesse duvidoso. Zago, o atual reitor, cortou em 30% nosso orçamento e se recusa a ouvir as demandas de professores, funcionários e estudantes. Alckmin, o governador, sonegou desde 2008 bilhões de reais do ICMS que deveriam ter sido repassados à USP. E até a grande mídia tem atuado, em campanha aberta pelas mensalidades!

Os estudantes têm o que dizer!

Ato dos estudantes na USP no Butantã

Ato dos estudantes na USP no Butantã

A greve geral na universidade responde a isso. Para os estudantes, é um orgulho poder apoiar professores e funcionários. Ao mesmo tempo, queremos fazer valer as nossas pautas. A atual situação da USP prejudica em muito os estudantes. Na greve, vamos dizer que 0% de reajuste é provocação. Em oposição aos cortes de orçamento, vamos defender mais democracia e transparência, com a auditoria e abertura das contas da USP. Junto à UNICAMP e UNESP, vamos pleitear mais dinheiro público para educação pública. Vamos defender as políticas de permanência estudantil e as cotas sociais e raciais. E, sobretudo, vamos dizer: essa é uma greve em defesa da EACH e dos estudantes da USP-Leste. Zago precisa atender às demandas estudantis!

É só construindo em cada curso que podemos virar esse jogo!

Para virar o jogo na USP e nas estaduais paulistas, o Juntos! quer construir nossa greve em cada um dos cursos da USP. Para nós, somente com todos os estudantes, pela base e com democracia, teremos força. Nosso movimento tem que ser de baixo para cima. É assim que nossa greve vai vencer e virar esse jogo na luta pela educação e pelos direitos em todo Brasil!

VEM COM O JUNTOS! CONSTRUIR A GREVE NOS CURSOS!

POR QUE ENTRAMOS EM CAMPO?

  1. DEFENDER A EACH – Mais de 5 mil estudantes vem sofrendo com o descaso da reitoria e do governo, cúmplices da contaminação do Terreno da USP Leste. Basta de descaso com a comunidade EACHiana, queremos a resolução dos problemas ambientais e normalização das atividades da unidade, NA EACH!
  2. DEMOCRACIA E TRANSPARÊNCIA NAS CONTAS DA USP – A USP tem uma verba maior que o PIB de muitos estados Brasileiros, mas esse dinheiro foi gasto ao bel prazer de nossos reitores, sem transparência e sem democracia! Queremos a auditoria das contas da USP e abertura de seu livro de contas! Democracia e participação!
  3. NENHUM CORTE NO ORÇAMENTO. MAIS INVESTIMENTO PÚBLICO NA UNIVERSIDADE PÚBLICA, COM REPASSE DE 11,6% DO ICMS – Os cortes orçamentários do reitor Zago vêm prejudicando as atividades vitais da Universidade. Ao mesmo tempo, a USP tem o mesmo investimento desde meados da década de 90! Desde lá, temos novos campi e quase o dobro de estudantes, funcionários e professores! Precisamos de investimento público para a educação pública, com 11,6% do ICMS para as universidades estaduais paulistas!
  4. EM DEFESA DA PERMANÊNCIA ESTUDANTIL – A permanência estudantil está abandonada com o corte de bolsas e estágios. Zago alega não ter feito cortes na área. Isso é uma meia verdade. O investimento, já muito insuficiente, teve incremento de apenas 2% em 2014, muito abaixo da inflação do período.
  5. DEMOCRATIZAR O ACESSO À USP COM AS COTAS – Nossa universidade é financiada por todo cidadão do Estado de São Paulo, mas apenas poucos podem nela entrar! É necessário abrir a USP e fazê-la servir a todo povo, em especial à juventude negra e menos favorecida, com cotas sociais e raciais.
  6. MENSALIDADES JAMAIS: A USP É PÚBLICA E GRATUITA E SEMPRE SERÁ

COMO SERÁ NOSSO ESQUEMA TÁTICO?

 

  1. DA UNIDADE VEM A FORÇA – Jogamos juntos com as mobilizações de fora da USP, do MTST e dos movimentos sociais, que questionam a Copa da FIFA. No dia 06/06, amistoso da seleção em São Paulo, estaremos nas ruas junto com todos esses movimentos.
  2. 0% É PROVOCAÇÃO! – Estamos ao lado dos professores e funcionários e disso não abrimos mão!
  3. CONSTRUÇÃO A PARTIR DOS CURSOS – Queremos uma greve construída a partir dos cursos e campi, com democracia, participação e respeito às diferentes visões dos estudantes
  4. MOBILIZAÇÃO PERMANENTE – A USP vai parar, mas não adianta ficar em casa! Cada um de nós é fundamental para mobilizar nossos colegas para defender a universidade!
  5. ATIVIDADES GERAIS E NOS CURSOS – Uma greve só tem vida com atividades cotidianas gerais e nos cursos. Precisamos estar em todas elas, como assembleias, debates e manifestações.
  6. EU ME ORGANIZANDO POSSO DESORGANIZAR – Nós, do Juntos!, queremos virar o jogo na USP, no Brasil e no mundo! Venha fazer parte de nosso movimento. Procure nossos membros em cada curso e participe de nossas reuniões.

PARA COMEÇAR, SE LIGUE:

Dia 27/05, vamos com tudo para a ALESP na audiência pública sobre a crise nas universidades. 4ªf, 28/05, teremos nossa segunda assembleia geral. E, nos próximos dias, nós do Juntos! construiremos uma série de atividades, incluindo um super-debate com o professor e filósofo Vladimir Safatle! Fique atento aos detalhes que virão em breve!

Vem aí...

Acampamento Internacional das Juventudes em Luta: Rio de Janeiro, abril de 2017