Nossa contagem regressiva para a Copa será lutando por direitos!

27/maio/2014, 12h31

Nós  somos jovens, de todos os cantos do país, não somos terroristas e nem baderneiros, por mais que tentem nos incriminar. Gostamos muito de futebol! Mas não vemos nenhuma  vantagem para nosso país em se gastar milhões e milhões de reais apenas em um mundial de futebol, gerando lucros enormes para construtoras, grandes empresas de marketing e para a FIFA, enquanto os interesses do povo continua no banco de reservas, tendo que assistir aos jogos de casa.    Fomos às ruas em junho do ano passado porque não aguentamos mais a forma como o país é gerido: por um lado constantes escândalos de corrupção, de outro os salários da maioria da população já não compram mais a mesma quantidade de coisas que um ano atrás. Mesmo com o povo na ruas, com greves e grandes mobilizações as coisas ainda mudam lentamente. Isso porque o poder segue nas mãos dos mesmos velhos políticos e partidos. Nas mãos dos que se preocupam mais com seus lucros do que com o povo que os elegeu!    Para fortalecer o time dos indignados, nós do Juntos temos somados esforços com  muitos outros lutadores. Com isso na cabeça, nós construímos nacionalmente o dia 15 de maio (15M), dia nacional de indignação contra a Copa, junto aos setores de juventude e ao MTST (o maior movimento popular de resistência urbana na luta por moradia atualmente). Mas o 15M foi só a abertura da nossa Copa do Povo. No dia 22 de maio, batizado como “Quinta vermelha”, ocorreu uma manifestação de 20 mil trabalhadores Sem Teto, na região nobre de São Paulo, que deixou a burguesia apavorada. No começo desta semana, no Rio de Janeiro, os profissionais da educação organizaram a devida recepção da seleção brasileira: aproveitaram o momento solene e de grande cobertura da mídia para dar visibilidade à justa luta que eles travam por melhores condições de ensino e investimento em educação pública. O ato organizado no aeroporto do Galeão pelos professores teve uma grande importância simbólica, o ônibus da seleção seguiu viagem até a Granja Comari coberto com os adesivos da greve.     Falando em greves, uma onda varre o país de Norte a Sul. Uma nova geração de lutadores que não se contentam com os acordões dos sindicatos burocratizados e exigem mais direitos! Garis, profissionais da educação, metalúrgicos, trabalhadores da cultura, saúde, rodoviários… Na USP, há uma greve forte entre professores, técnicos e estudantes contra a política de austeridade do reitor Zago.    A Copa do Mundo de Futebol ainda é a grande aposta daqueles que querem calar as vozes de Junho de 2013, dos que seguem obtendo lucros fabulosos enquanto nossos salários diminuem. Por isso convocamos todos para ocupar as ruas durante a Copa e por suas bandeiras e direitos:    -Fora FIFA! A FIFA é uma empresa privada que vai ficar com a grande maioria dos lucros gerados pela Copa, enquanto o Brasil, de acordo com o contrato assinado quando trouxe para cá o Mundial, vai ficar com todos os prejuízos! A empresa foi eleita esse ano como a pior empresa do mundo pela forma que gere recursos públicos e viola direitos humanos. Temos que botar a FIFA pra fora do Brasil!    -Lutar não é crime! Com a Copa do Mundo da FIFA todo o aparato repressor do Estado tem sido mobilizado para impedir “perturbações” durante o megaevento. 20 ativistas do Juntos! estão sendo indiciados em Campinas, bem como Lucas Maróstica do juntos! de Porto Alegre e Matheus da ANEL. A polícia no Brasil segue militarizada, violando recomendações internacionais, como a da Anistia Internacional; A mesma polícia militar que faz guerra contra os pobres todos os dias! Manifestar é um direito! E se lutar é crime somos todos réus confessos!    -Apoio às lutas dos trabalhadores! Lutamos para que parcela gigantesca de nosso dia não seja tomada por um ofício degradante, mal remunerado, sem reconhecimento ou serventia para o bem coletivo. A greve é um direito legítimo para a exigência de melhores salários e condições de trabalho. Por isso, nos solidarizamos com os rodoviários em greve, com os servidores públicos e todas as outras categorias. Nossa luta é uma só!    Aproveitando que os olhos de todo o mundo estarão voltados para o Brasil durante a Copa, vamos aumentar a pressão para que os governos e os patrões cedam às nossas reivindicações!

    1. A contagem regressiva do Juntos para a Copa incluirá 15 dias de protestos, manifestações e intervenções urbanas. Some-se a esta iniciativa: um ato por dia daqui até a Copa em cada canto do país.
    2.  No dia 6 o Juntos estaremos com os trabalhadores em um dia de Paralisação em São Paulo.
    3. No dia 12 pararemos o país com atos nacionais!
    4. No dia 19 de Junho completaremos um ano da queda das tarifas dos ônibus e para comemorar vamos às ruas junto com o MPL construir o Dia Nacional de Lutas Pelo Transporte Público e a Tarifa Zero.

    A indignação que levamos às ruas em Junho de 2013 segue viva e pulsando, não sairemos das ruas até conquistarmos mais direitos! Juntos podemos mais! A juventude entrou em campo! 27 de maio de 2014 Grupo de Trabalho Nacional do Juntos!