A greve dos metroviários precisa vencer! Nossa solidariedade é um dever!

08/jun/2014, 21h56

A greve dos metroviários precisa vencer! Nossa solidariedade é um dever!

 

A greve dos metroviários de São Paulo comove o país. A repressão dura contra os trabalhadores, em plena estação Ana Rosa despertou a solidariedade de diversas partes do país. As enquetes na televisão e nas redes demonstraram o apoio da população à justa causa dos trabalhadores do metrô. O sindicato inovou apontando a proposta de Catraca Livre, rechaçada pelo governador Geraldo Alckmin, ganhando importante parcela da população.

Esta greve não é apenas mais uma. Ela condensa o conjunto de contradições e enfrentamentos entre parcelas da classe trabalhadora contra o governo e seus patrões.  Ela é um sinal importante da correlação de forças entre as classes, justo às vésperas do congresso da Fifa e do começo da Copa do Mundo. Sua vitória será decisiva. Por isso, nos jogamos nessa batalha. Se a porta da vitória, neste novo junho, se abre com os metroviários, os estudantes, docentes e funcionários da USP poderão vencer com mais facilidade. O povo sentirá ainda mais confiança que lutar dá certo. Os rodoviários do DF arrancaram 20% de reajuste após intensa mobilização. Está marcada para terça a greve do metrô do Rio. Segue a greve de municipários de Porto Alegre, professores do Rio, entre outras importantes mobilizações.

 

As lições da luta do MTST

 

A escalada organizada de mobilizações no último mês por parte do MTST e seus aliados, congregados na campanha “Copa sem povo/ To na Rua de novo”, colocou contra as cordas os governos, as empreiteiras e os grandes barões da especulação imobiliária. Desnudando a grave situação da moradia no país, o MTST juntou à necessidade de milhares de famílias em luta com a simpatia dos milhões que pintaram de vermelho as semanas que atravessamos. Neste “campeonato”, chegamos ao começo de junho com uma conquista praticamente assegurada: além de mudanças no Minha Casa, Minha Vida, a vitória da ocupação-símbolo, Copa do Povo, a 5 Km da Arena Corinthians.  O verdadeiro coração da luta.

 

Devemos extrair as lições da combatividade e união deste movimento. Um movimento profundamente democrático e de massas, capaz de aglutinar politicamente amplos setores, colocando num patamar superior a agenda da luta pela habitação no país.

A vitória da Ocupação Copa do Povo vai irradiar em todas as comunidades e bairros do Brasil. Vai ecoar com a força dos que não agüentam mais pagar o peso do aluguel, que cresce de forma galopante, contrariando os que advogam que a inflação não é um problema.

A direção do MTST tem uma concepção unitária das lutas. Além de suas conquistas, tem trabalhado pra impulsionar a unidade entre os setores em luta, no campo e na cidade. Estão colocando suas forças para que a greve do metrô chegue a um triunfo.

 

Nossa batalha política para unir as lutas

 

O JUNTOS! se orgulha de ter apoiado desde o começo a luta dos metroviários. Nos jogamos nas assembléias, nas ruas e nas redes para garantir a solidariedade aos companheiros. Atuamos junto com os com outros setores para organizar o ato que contou com MTST, Fenametro, Sindicato dos Metroviários, DCE da USP, Sintusp, DCE da Unicamp,  Comitê Popular da Copa, Construção, Rua, ANEL, Nossa Classe , Vamos à Luta, além do jurista Souto Maior. Esta articulação garantiu uma ampla agenda de solidariedade, resultando no ato de segunda-feira, na estação Ana Rosa, pela catraca livre, ao lado destes setores mais o MPL, MLC e UJR.

 

VENCER com os METROVIÁRIOS

 

Estamos convocando a juventude paulistana, a mesma que dobrou a repressão em junho passado para entrar com força nessa luta. Amanhã é dia de luta pela catraca livre. Dia de defender  o legado de Junho.

Nossas energias estão a serviço dessa estratégia.