Liberdade para os presos! Chega de repressão e perseguição política!

12/jul/2014, 18h05

Legado da copa ou da ditadura: prisões ilegais e repressão
Liberdade para os presos! Chega de repressão e perseguição política!
Cambista da FIFA solto! Manifestante preso: essa é a justiça do Brasil!A copa está terminando com um vexame ainda pior do que a goleada que o Brasil sofreu. Uma onda repressiva leva à prisão, de forma ilegal e abusiva, dezenas de manifestantes, especialmente na cidade do Rio de Janeiro. Apesar da campanha promovida pela Anistia Internacional, onde se pedia direito à livre manifestação, o que acontece é o inverso. Se antes do início da Copa os governos de Alckmin e Pezão já seguiam a cartilha da repressão nas lutas sindicais, como foi com os Professores do RJ que tiveram seu ponto cortado e os 42 Metrovia[arios de SP que foram demitidos. Agora é o governo federal que atua para colocar na cadeia, a um dia da final da copa, todo “elemento suspeito”, com a finalidade de evitar qualquer manifestação contrária aos gastos da copa do mundo.

Neste momento, a polícia do Rio não conseguiu prender os grandes milionários indiciados no esquema mundial de corrupção envolvendo a Match- parceria prioritária da Fifa. Mas para prender os que convocam manifestações, foram rápidos e eficazes, repetindo o caso de São Paulo, onde o funcionário da USP Fabio Hideki se encontra preso há três semanas sob suspeita de “porte de vinagre!!”.
Segundo a nota da ONG Justiça Global há cerca de 60 mandados de prisão temporária para serem cumpridos pela Polícia do Rio de Janeiro. Desses mandados, já estão confirmados a prisão dos 19 ativistas. Essas prisões são um passo a frente na onda repressiva. São parte de um processo de intimidação e criminalização dos ativistas políticos. E mesmo não concordando com o método e as visões políticas dos setores em questão – a nossa discordância é pública e está exposta em nossos textos – defendemos a mais ampla frente para defender a libertação imediata, denunciar a barbaridade das prisões e evitar a criminalização dos protestos e dos ativistas.
Dilma, que em um outro contexto de Ditadura Militar, lutou contra esse mesmo método de prisões e foi anistiada hoje se tornou uma carrasca para os movimentos de rua. Não podemos aceitar, no ano que se cumpre 50 anos do golpe militar a mesma conduta que Dilma tanto enfrentou se repita em tempos de democracia. Lutaremos pela liberdade de manifestação! Pois em tempos da ditadura do dinheiro e de uma mídia corporativa e parcial, lutar não é apenas um direito como é um dever.
Estamos convocando todos os setores para se manifestarem junto à Anistia Internacional contra a detenção arbritrária. Pela imediata libertação de todos os presos!

Grupo de Trabalho Nacional do Juntos!

Vem aí...

Acampamento Internacional das Juventudes em Luta: Rio de Janeiro, abril de 2017