Jorge Souto Maior: Por que destinei meu salário para o fundo de greve dos trabalhadores da USP?

10/ago/2014, 16h05

*Jorge Luiz Souto Maior

Pediram-me para que explicitasse porque destinei meu salário para o fundo de greve dos trabalhadores da USP.

As razões são muitas e bastante óbvias.

Primeiro, porque a causa da greve é extremamente importante. Trata-se de uma luta pela dignidade e pelo efetivo funcionamento democrático de uma instituição pública.

Segundo, porque os ataques aos grevistas têm sido ilegais, desproporcionais, autoritários e ofensivos, culminando com o corte de salários que põe em risco a sobrevivência de muitos de nossos colegas de trabalho.

Terceiro, porque estive e estou durante todo esse tempo em greve, participando das atividades a ela relacionadas, e se alguns trabalhadores não vão receber seus salários não é justo que eu receba, ainda que a negação do salário seja ilegal e se caracterize, no caso, como ato antissindical e discriminatório.

Por fim, porque minha condição financeira momentânea me permite fazê-lo e ainda que essa importância me pudesse fazer alguma falta, mais falta me faria a minha consciência.

São Paulo, 06 de agosto de 2014.

Jorge Luiz Souto Maior é professor da Faculdade de Direito USP

 

 

Vem aí...

Acampamento Internacional das Juventudes em Luta: Rio de Janeiro, abril de 2017