Fábio distribuiu água em seu bairro em meio a crise, conheça sua história!

06/nov/2014, 17h17

*Por Pedro Maia

Em São Paulo muitos sofreram e continuam sofrendo com a falta d’água em suas casas, as tarefas domésticas mais básicas viraram um grande problema para a população da cidade, principalmente as que vivem nas periferias. Um simples banho, uma descarga ou lavar a roupa do trabalho tem se tornado uma dificuldade, há de se esperar mais de 4 dias para ter um pouco de água na caixa, e mesmo assim deve-se priorizar o que fazer. Essa é a situação do bairro Jardim Novo Pantanal onde mora o motorista de caminhão Fábio Roberto Santos.

FábioMotoristaÁgua-6-Wordpress

Fábio virou notícia depois de desviar um caminhão-pipa da empresa em que trabalha para abastecer o bairro onde mora com água. Ele dirigiu o caminhão-pipa até a empresa onde trabalha, abasteceu, mas decidiu que a água iria para as pessoas do seu bairro, que passavam dias sem água. Segundo ele “o foco principal mesmo era ajudar, entregar água pras pessoas, pra mim era muito fácil levar água só pra minha casa”. Depois da repercussão Fábio não se surpreendeu, mas ficou feliz de muitas pessoas verem sua história, e principalmente de sua comunidade que se sentiu ouvida e pode colocar os problemas que todos veem passando.

Para o motorista, leitor voraz de filosofia, não é possível mudar as coisas sozinho, por mais que, como ele mesmo diz “O poder não está em Brasília, o poder está na minha mão, na sua, na mão da comunidade, dos trabalhadores”. Se referindo as manifestações de Junho, Fábio coloca que “se todas as pessoas, a sociedade acordasse toda vez que elas fossem subjulgadas por um governo, por algum tipo de força e ela se levantar de forma pacífica pra lutar contra isso como foram nas manifestações, seríamos um outro país”.

FábioMotoristaÁgua-7-wordpress
O exemplo de Fábio é muito inspirador, porque ele viu todo seu bairro em uma situação crítica de falta d’água, o que mais chamou sua atenção foi passar na comunidade o dia das crianças sem água e estava muito quente. Ele mostrou que não podia ficar esperando o governador ou a Sabesp se pronuciarem ou tentar dar uma solução ao problema, ele decidiu agir para reverter aquele cenário. Fábio tem a total consciência que seu gesto foi muito importante, chamou a atenção para os problemas da comunidade, mas ele já fala que a comunidade precisa se organizar, sozinho é muito difícil fazer a real mudança. Já pensa num cinema comunitário para as crianças e ainda uma rádio comunitária, lugar no qual a comunidade poderia ser organizar em volta e ter um motivo para constantemente discutir seus problemas e agir!

Confira um pouco da entrevista que o Juntos! fez com Fábio em Diadema-SP no final do expediente: Entrevista com Fábio

*Pedro Maia é estudante de Geografia da USP e militante do Juntos!

Vem aí...

Acampamento Internacional das Juventudes em Luta: Rio de Janeiro, abril de 2017