Na UeVA o cinto aperta cada vez mais!

18/nov/2014, 12h56

* Jamila Camelo

** João Berkson

 

As universidades estaduais cearenses estão há quase dois meses em greve. Esta greve que havia sido suspensa devido às promessas de Cid Gomes em realizar concurso para professores efetivo se mantém com força. A UeVA em especial está com praticamente 100% das aulas paradas.

Embora a pauta principal desta greve seja o concurso público para professor efetivo, nossa universidades tem demandas particulares e urgentes a serem atendidas que implicam diretamente em seu funcionamento pleno. Um destes principais pontos é o financiamento.

Chega a ser assustador, porém na UeVA teremos um novo corte de gastos. A Pró-Reitoria de Planejamento (PROPLAN), já informou em reunião do CEPE e CONSUNI que a situação financeira da UeVA está de mal a pior. Iniciamos o mês de novembro no vermelho, com uma dívidas de 900 mil reais para pagar. O ônibus de rota que levam os funcionários todos os dias deve parar de circular, a Combi que leva estudantes da Zootecnia para a Fazenda da UeVA também devem parar as atividades. Isto porque dos 10 mil reais destinados por mês para a gasolina, haverá um novo corte de 20%.

Esta situação já vem se arrastando a bastante tempo, principalmente devido o modelo de funcionamento inaugurado pelo Prof Teodoro, ex-reitor da UeVA. Neste modelo de funcionamento o estado diminui os recursos destinados à universidade que eram cobridos, de maneira precária, pelo dinheiro proveniente dos institutos particular, que como sabemos são verdadeiras aberrações e máquina de fazer diploma e dinheiro para um determinado grupo político.

Porém nos últimos anos diversos destes institutos que funcionavam ilegalmente em alguns estados brasileiros vem sendo fechados e os escassos recursos que vinham para estão se tornando cada vez mais minguados. Neste ano eleitoral, não sabemos se por coincidência, os recursos diminuíram ainda mais. A situação atual, como a própria reitoria admite é a de falta de dinheiro completamente. A reitoria chegou a admitir que o dinheiro que a universidade tem em caixa só duraria ate o fim do mês de novembro e que não há recursos para pagar todas as dívidas da universidade no último mês do ano.

Esta é uma situação crítica e que deve ser denunciada. O movimento estudantil e docente estarão hoje em audiência pública na Câmara de Vereadores de Sobral para denunciar o sucateamento pelo qual a UeVA está passando. Nós do Juntos! também estaremos presentes e convocamos a toda a população a participar e apoiar a luta por uma universidade de qualidade.

 

* Jamila é estudantes de Geografia e militante do Juntos! no Ceará

** Berkson é professor de Física e militante do Juntos! no Ceará

 

Vem aí...

Acampamento Internacional das Juventudes em Luta: Rio de Janeiro, abril de 2017