Ocupação Zumbi dos Palmares, a luta é pra valer!

05/nov/2014, 20h47

Na última sexta-feira, 31 de outubro, o MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto) realizou sua primeira ocupação no Estado do Rio de Janeiro. Cerca de 200 famílias, ocuparam um terreno em São Gonçalo. O local, abandonado há décadas, servia como depósito de lixo e para desmonte de carros.

O Juntos esteve apoiando o movimento desde seu início, estando presente no momento da ocupação, acompanhando o dia-a-dia da comunidade e participando das assembleias diárias que acontecem. Ver centenas de barracos construídos às pressas durante a madruga, se transformarem na comunidade Zumbi dos Palmares, com funcionamento coletivo e solidariedade entre as famílias, é de uma riqueza enorme.

Estima-se que o déficit habitacional em São Gonçalo seja superior a 60 mil casas. A cidade passa há anos por um processo de valorização das suas áreas centrais e a intensificação da especulação imobiliária. Parte considerável da população do município, extremamente empobrecida, é empurrada para áreas periféricas como os bairros do Jardim Catarina (considerada a maior favelização plana da América Latina), Santa Luzia e Guaxindiba. Entre esse imenso bolsão de pobreza, agora localiza-se a comunidade Zumbi dos Palmares. foto PSOL SG

Nesses dias de ocupação, tivemos a chance de conversar com diversos trabalhadores e trabalhadoras, que batalharam uma vida inteira e mesmo assim não conseguiram ter acesso a uma casa própria, que pudesse proporcionar estabilidade, conforto e segurança para suas famílias. Alguns viram seus salários desaparecerem diante dos constantes aumentos nos preços dos aluguéis, outros moram de favor há anos e ainda há os que vivem em barracos precários localizados em áreas de risco.

No dia de hoje, 05 de novembro, o movimento deu mais um passo importante rumo à vitória. O MTST organizou o seu primeiro ato nas ruas do centro de São Gonçalo, reunindo cerca de 300 pessoas. A força do movimento colocou a prefeitura na defensiva. O governo municipal recebeu uma comissão e se comprometeu a apresentar um plano para resolver a questão em outra reunião que acontecerá na semana que vem.

Apesar de tantas dificuldades, todas essas pessoas superaram o medo e a desconfiança inicial e hoje constroem juntos um belíssimo capítulo da luta por mais direitos no nosso país. O fato de compartilharem o mesmo sonho os unifica. A mobilização e a organização devolvem a esperança ao rosto de cada um.

A ocupação segue crescendo e nós seguiremos prestando toda solidariedade à luta dos trabalhadores e a ocupação Zumbi dos Palmares. “Se morar é um privilégio, ocupar é um dever”.

*Por Pedro He-man – estudante de história da FFP/UERJ, membro do CAHIS e militante do Juntos! São Gonçalo.