Quem matou Marcos Vinicius?

18/nov/2014, 18h36

Bruno Zaidan

Mais um jovem gay foi assassinado. Infelizmente, Marcos Vinicius faz parte de uma estatística assustadora, de mais de 200 LGBTs que já foram mortas só neste ano. Foi morto, ontem, do lado de fora do Autorama, conhecido por ser um espaço de socialização das LGBT, e que foi fechado pelo prefeito Haddad em 2013, fazendo com que seus frequentadores fiquem do lado de fora, muito menos protegidos.

De acordo com seus amigos, o crime teve motivação homofóbica. Embora o caso ainda esteja sendo investigado pela Polícia Civil, podemos afirmar que sua morte é resultado do descaso com que as LGBT são tratadas pelo governo. A falta de espaços de sociabilidade para as LGBT e o fechamento dos poucos que existem, revela a insegurança a que as LGBT estão expostas. Não só somos alvos de ataques verbais e físicos, como também não existe uma lei que criminalize a homofobia e a transfobia, e nossas denúncias muitas vezes são ignoradas.

Nos solidarizamos com a família de Marcos e com seus amigos. Este é um momento em que é necessário muita força e, principalmente, muita união, para garantirmos que a polícia investigue o caso até o fim e nos responda a pergunta que gritamos: Quem matou Marcos Vinicius? Não vamos sair das ruas até que essa pergunta seja respondida e até que mais nenhuma LGBT seja morta por sua orientação sexual ou identidade de gênero. Chamamos todas e todos para estarem conosco no domingo, às 16h, no Velaço em memória a Marcos Vinicius e pela criminalização da homofobia e transfobia, no Autorama.

Bruno Zaidan, militante do Junt@s LGBT e membro do Grupo de Trabalho Estadual do Juntos! SP

 

Link do Velaço em memória a Marcos Vinicius:  https://www.facebook.com/events/877437215622820/