Dilma quer piorar o time: Cid pode ser Ministro da Educação

20/dez/2014, 08h44

*Juntos Ceará

 

Dilma vem nas últimas semanas formando o novo time que vai comandar os ministérios no seu próximo governo. Já sabemos do imoral balcão de negócios no qual a esplanada dos ministérios se transforma neste período, com os partidos da base aliada do governo cobrando o preço pelo apoio nas eleições na forma de cargos de primeiro, segundo, enésimo escalão. Porém a formação do grupo de ministros tem tomados termos especialmente controversos neste quarto mandato seguido do PT na presidência.

Se já temos para 2015 o Congresso mais conservador desde a redemocratização, Dilma e o PT parecem não querer ficar para trás e na busca de acalmar a mídia golpista e agradar a direitona no Brasil estão dando um legitimo chega pra lá nos interesses de qualquer movimento social preenchendo Brasilia com o pior que se pode imaginar para diversos ministérios. Depois de Joaquim Levy para o Ministério da Fazenda, Katia Abreu para o ministério da agricultura, Dilma nos mostra mais uma vez a que veio e convida Cid Gomes (PROS) para o ministério da educação.

Cid Gomes, que está encerrando seu segundo mandato de governador no Ceará, não vai deixar saudades para nenhum trabalhador da educação em nosso estado. Muito pelo contrario. Enquanto governador se recusou a pagar o piso salarial para os professores do ensino medio. Durante a greve de 2012 dos professores da rede estadual de ensino mostrou sua face repressora quando a PM agrediu os profissionais que se manifestavam na Assembleia Legislativa do Ceará.

Como não ficou satisfeito com isso, usa a máquina publica estadual para “trabalhar” em nome de seus candidatos durante as eleições. São poucos os professores ou diretores da rede estadual de ensino que não se viram obrigados a balançar uma bandeira ou ainda ir a uma carreata de Camilo Santana (PT), candidato eleito para sua sucessão.

Embora não tenha sido o criador original da célebre frase “professor tem que trabalhar por amor”, não tenho noticia de alguém que a utilizou com os pulmões tão cheios de convicção e orgulho. Talvez seja por isso que trabalha para a precarização das escolas cearenses, com a exceção das escolas técnicas onde trabalha para implementar um educação tecnicista.

Porém o chamado ensino medio não foi o único que sofreu com as aberrações da familia Ferreira Gomes. Digo familia porque Cid não anda só. Sempre está muito bem acompanhado do louco (não encontro melhor palavra para defini-lo) Ciro Gomes. Os dois estão travando sua última luta antes de deixar os postos que comandam no Ceará: a luta contra a educação de qualidade nas universidades cearenses.

A universidades estaduais cearenses que acumulam somadas cerca de seis meses de greve desde outubro de 2013 até hoje, irão entrar em 2015 com as atividades paralisadas devido à falta de cerca de 470 professores na UeVA, URCA e UECE. O governador, inclusive, havia se comprometido a realizar concurso público para professores no meio do ano de 2014, promessa que não cumpriu obrigando as universidades retornarem a greve. Agora se recusa a receber os docentes e discentes para negociar. Ciro Gomes, seu mentor, chegou inclusive a agredir um professor da UECE e a rasgar cartazes dos estudantes em manifestação.

Cid aliás está se especializando a descumprir as promessas, pelo menos aquelas promessas que beneficiam os movimentos sociais e o povo. Assim como não fez concurso público para professores nas universidades estaduais cearenses, pode voltar atrás em sua palavra e aceitar o posto de Ministro da Educação de Dilma.

Cid Gomes, que é um dos ícones da maneira mais esdrúxula como uma oligarquia domina um estado brasileiro, pode reforçar o time de Dilma que assumirá em 2105 após a passagem do réveillon, que com estes nomes, parecerá mais uma madrugada de Halloween.

Porém como o pesadelo neste caso é real e está a espreita para atacar nossos direitos e nossas conquista, é importante que Dilma, Cid, Katia Abreu e companhia saibam que os movimentos sociais estarão cada vez mais presentes. Com este Congresso e com este governo a saída é a luta. O Juntos! está comprometido com todas as lutas dos oprimidos e explorados desta sociedade, se Dilma está montando um time forte contra o povo, não teremos medo de enfrentá-lo e derrotá-lo nas ruas.