Juntos chegando na UFBA!

16/dez/2014, 11h27

O Juntos chega a Universidade Federal da Bahia como uma alternativa ao movimento estudantil desgastado que estas eleições para o DCE demonstraram. Seu resultado reflete significativos aspectos da conjuntura que atravessamos, e aponta para a importância das tarefas que o movimento estudantil de esquerda terá que cumprir no próximo período. Será um 2015 de lutas, já sabemos, e há boas razões para estarmos atent@s ao ano que virá. Somente organizando a indignação dos estudantes baianos poderemos alcançar vitórias significativas. 

Sabemos que Dilma se reelegeu com votos anti-retrocesso à antiga direita que governou nosso país. Há uma polarização no ideário popular, e esta eleição presidencial deixa claro que queremos avançar. Entretanto, Luciana Genro já denunciava nos debates que se tratava do “sujo falando do mal lavado”. O modo petista de governar aprendeu com a direita o caminho da corrupção que atinge a todos com escândalos como o da Petrobras e o mensalão. Dentre os partidos com presença parlamentar, a única exceção tem sido o Psol, que comprovadamente não está envolvido em nenhuma destas lambanças com o dinheiro público. Nossa insatisfação com o modo petista de governar não terá resposta no retrocesso da direita que sempre governou o Brasil e a quem agora o PT dá a mão, traindo seus princípios e vendendo sua história.

Neste sentido, por exemplo, na Câmara dos Vereadores de Salvador, a bancada petista confirmou apoio à reeleição de Paulo Câmara (PSDB) como presidente da casa. No plano estadual, o Governo Rui Costa anuncia uma proposta de Reforma Administrativa que prevê cortes no orçamento, criação de uma Secretaria Especial para o combate ao tráfico e a preparação de uma polícia como o BOPE, que aponta para um aumento da repressão nas periferias. Para coroar a larga lista de retrocessos, no âmbito federal a indicação de Joaquim Levy (Bradesco) para o Ministério da Fazenda e de Kátia Abreu (troféu motosserra) para o Ministério da Agricultura tornam impossível a manutenção da perspectiva de segundo governo Dilma “mais à esquerda”.

Na UFBA, a vitória da Chapa 4 – “Mandacarú” reelegeu o grupo que estava na gestão do DCE. Compostos pelos coletivos Levante Popular da Juventude (Consulta Popular) e alguns setores do PT, estes grupos não reconhecem que há uma grande insatisfação popular com os governos Lula e Dilma e com o Partido dos Trabalhadores. Preferem adotar uma política de abafamento das críticas e silenciamento dos incômodos populares. Responderão a todos os absurdos cometidos ou apoiados pelos seus partidos ocultando-se por detrás da falaciosa “governabilidade” e numa “possível” disputa do PT para seu retorno à esquerda. 

A juventude está indignada e apresenta uma vontade de mudanças para o país. A universidade não é uma ilha. Seus problemas não se resolverão somente nas reuniões com a reitoria, nos acordos e nas promessas de qualquer governo. Os problemas que temos na UFBA, como: um restaurante universitário que não atende a demanda efetiva, cortes no orçamento federal que atingem diretamente a assistência estudantil (residências, bolsas de permanência e o funcionamento e ampliação da quantidade de vagas na creche universitária, por exemplo), falta de corpo técnico e docente para atender a demanda oriunda da expansão ou a ampliação de vagas nos CPL para atender as demandas dos BI’s, entre outros, apontam para a necessidade de que o movimento estudantil retome em suas mãos a disputa pela universidade que queremos: pública, gratuita e de qualidade!

O movimento estudantil no qual acreditamos não se resume à burocracia ou às mesas de negociação. Não se limita às eleições de um DCE. Ao contrário, deve estar presente na luta cotidiana, no combate às opressões e na construção de uma sociedade justa, realizando os debates necessários para projetar nosso futuro! É preciso que o DCE assuma uma postura incisiva sobre estes ataques que afetam nossa vida cotidiana na UFBA e na cidade de Salvador!

Precisamos de um movimento estudantil que esteja conectado com o que levamos para as ruas em junho de 2013: por mais verbas para a educação, saúde, transporte público de qualidade – Passe Livre Já, contra os escândalos de corrupção que levam nosso suado dinheiro para as empreiteiras financiadoras das campanhas eleitorais, por uma reforma política democrática e popular, contra o genocídio da juventude negra, pela legalização da maconha contra a criminalização da pobreza, contra a homo/lesbo/transfobia, contra o machismo e o racismo. 

Nós do Juntos, queremos virar a UFBA do avesso! Lutar por democracia real na Universidade pela garantia dos espaços democráticos de discussão ampla com os estudantes acerca de nossas reivindicações. Precisamos de uma esquerda consequente que consiga estabelecer o diálogo com as reivindicações juvenis e que não se cale perante a traição dos oportunistas. Se o presente é de luta, o futuro a nós pertence. 

Venha conhecer o Juntos! Visite nossa página do facebook e acesse nosso site! 

Estamos chegando na Bahia! Organize conosco a sua indignação!

#vemcomagente #organizarsuaindignaçao #juntos #poroutrofuturo

Vem aí...

Acampamento Internacional das Juventudes em Luta: Rio de Janeiro, abril de 2017