Somos Todas Paloma. Basta de Revenge Porn!

04/jan/2015, 11h16

Sophia Tagliaferri 
Recentemente o nome Paloma Carvalho vem sendo citado por diversas páginas. Paloma Carvalho foi a nova vítima do Revenge Porn. O Revenge Porn (pornô de vingança) é você ter vídeos ou fotos íntimas de seu parceiro ou parceira (homem ou mulher) e divulgar sem a permissão do mesmo. É clássico depois de uma má aceitação do término do namoro, uma traição, etc. 80% das vítimas de Revenge Porn são mulheres. As vezes foi a vítima mesmo que enviou as fotos ou os vídeos para o parceiro, as vezes ela não tem ideia de que tenha sido gravada, mas pode até ter consentido em gravar o vídeo. Mas consentir em gravar o vídeo é muito diferente de permitir com que ele seja divulgado em redes sociais, sites pornôs ou aplicativos de mensagem.
Sexo ainda é um tabu para nós mulheres. Quando esses tipos de imagens são divulgadas, além da perversidade de quem publicou, as mulheres são atacadas por outros, sofrendo humilhações. Ano passado duas jovens brasileiras cometeram suicídio em um intervalo de 10 dias por conta de vídeos divulgados, algumas perdem o emprego, outras sofrem com piadas maldosas na internet, podem perder amigos e normalmente não tem apoio da família que as culpabiliza. Paloma foi vítima dessa violência, seus vídeos e fotos foram divulgados. Antes que alguém já venha com aquele papo de “se ela fez, ela tem de arcar com as consequências”, ela não sabia que aqueles vídeos seriam divulgados e que, além de ter sua intimidade divulgada, mais de 20 páginas seriam criadas para humilhá-la. Cerca de 50 mil pessoas foram alcançadas. Posts desnecessários e opressores fazendo piadas machistas surgem a cada minuto. Esse é o recado do mundo para Paloma: o corpo não é dela, ela não pode escolher o que quer fazer com ele. E se escolher, será linchada por tantos que nem a conhecem mas já a julgam por ter transado.
Paloma Carvalho transou com 8 homens E NÃO TEM PROBLEMA se houve consentimento por parte dela. Mas ela é menosprezada por ser mulher. Imagine se por exemplo, Paloma fosse um homem, se chamasse Paulo e tivesse sido exposto transando com 8 mulheres. Paulo não seria rebaixado, seria apoiado e elogiado. Afinal, um homem transar com várias mulheres é sinônimo de pegador, agora se uma mulher transa com vários homens ela é NECESSARIAMENTE desprezada.
Enquanto quiserem nos diminuir por amar, transar e por sermos mulheres, podem ter certeza de que continuaremos denunciando e lutando para que essa violência tenha fim.
#SomosTodasPaloma, nenhuma mulher merece sofrer violência física, psicológica ou moral!
Sophia Tagliaferri é militante do Juntos! Nas Escolas e do Juntas!