TURQUIA: Özgecan Aslan, jovem morta após estupro, leva milhares de turcas às ruas!

15/fev/2015, 10h45

A Turquia teve o sábado (14)  marcado por uma importante reação à violência contra as mulheres. As principais cidades do país assistiram mobilizações desencadeadas pelo assassinato da estudante de Psicologia, Özgecan Aslan. Na última quarta-feira, a jovem de 20 anos foi esfaqueada por um motorista de ônibus, após tentativa de estuprá-la. Em seguida, o corpo foi incinerado, com a ajuda do pai e de um amigo do assassino, e jogado em um rio, vindo a ser encontrado na sexta-feira.

Motivo suficiente para que, à tarde de ontem, uma multidão fosse às ruas de Mersin – a cidade natal de Özgecan Aslan – em repúdio ao crime bárbaro. No funeral, centenas de mulheres desafiaram o imã, depois de um pedido para que elas ficassem na parte de trás da cerimônia. Em vez disso, elas fizeram questão de ocupar a frente, além de carregar o caixão, antes e depois da oração.

Enquanto isso, ativistas dos direitos das mulheres gritavam palavras de ordem em solidariedade com Aslan na Praça Taksim de Istambul. “Você nunca andará sozinha!” e “Basta! Vamos parar o assassinato de mulheres!” eram alguns dos dizeres que podiam ser lidos e ouvidos na manifestação. A renúncia da ministra de Políticas Familiares e Sociais,  Aysenur Islam, foi outra reivindicação presente.

Estatísticas chegam a apontar que, a cada dia, 5 mulheres são mortas por dia no território turco. A maior parte dos assassinos são casados com as vítimas. Cenário desolador, agravado na última década muito por conta da política conservadora seguida pelo governo Erdogan (inimigo declarado das feministas), que na prática responsabiliza as mulheres estupradas e mortas.

Nos próximos dias, novos protestos estão programados para impedir que a morte de Özgecan Aslan tenha sido apenas mais uma a engrossar a lista de crimes de gênero na Turquia.

Informações retiradas de: BBC e RT.com

 

 

Vem aí...

Acampamento Internacional das Juventudes em Luta: Rio de Janeiro, abril de 2017