Grécia: brilhante sucesso da Plataforma da Esquerda de Syriza na reunião do Comitê Central

02/mar/2015, 20h11

Stathis Kouvelakis

A emenda (veja o texto completo abaixo) apresentada pela Plataforma Esquerda rejeitando o acordo com o Eurogrupo e a “lista de reformas” enviada pelo governo obteve 41% dos votos, com 55% contrários e 4 % de abstenções e votos brancos (a votação foi: 68 a favor, 92 contra, 6 abstenções / votos brancos). A Plataforma estendeu agora significativamente sua influência, incorporando os votos estratégicos dos maoístas do KOE e o grupo em torno (do agora ex) líder do departamento de Economia do partido, John Milios.
Toda a mídia relata que o partido está agora claramente dividido sobre a linha adotada até agora pelo governo e que o comitê-central “emitiu um alerta ao governo”, para citar o artigo do principal jornal pró-sistema To Vima.
Na mesma linha, o novo secretário do partido, Tassos Koronakis, foi eleito por uma maioria estreita (102 de 199), com o candidato da Plataforma de Esquerda, Alekos Kalyvis, conseguindo 64 votos, um candidato independente 1 voto, e com 32 membros do Comitê Central se abstendo.
Na votação para os novos 11 integrantes do secretariado político, a lista do bloco majoritário obteve 110 votos (6 assentos), a Plataforma de Esquerda (4 assentos), os maoístas (KOE) 21 votos (1 assento), um lista independente 2 votos (0 assento), + 3 abstenções.
A conclusão é bastante simples: o debate crucial sobre a estratégia futura está agora completamente aberto e a Esquerda do Partido está em uma posição muito forte para levar adiante sua estratégia em favor de uma abordagem alternativa e um “plano B”.
O texto completo da emenda apresentada pela Plataforma de Esquerda
“Nós expressemos nossa desaprovação com o compromisso e com a lista de reformas combinados com o Eurogrupo.
Ambos os textos representam um compromisso indesejável para nosso país e avançam em direções e orientações internas que, em seus pontos essenciais, se afastam ou estão em pleno contraste com os acordos programático de SYRIZA.
No futuro imediato, SYRIZA, apesar dos acordos com o Eurogrupo, deve tomar a iniciativa de implementar constantemente e como uma questão de prioridade seus compromissos e o conteúdo de sua declaração programática de governo.
Para percorrer este caminho, nós temos que confiar nas lutas populares e dos trabalhadores, contribuir para sua revitalização e para a expansão contínua do apoio popular  a fim de resistir a qualquer forma de chantagem, e promover a perspectiva de  um plano alternativo, incentivando a completa realização de nossos objetivos radicais.
A conclusão principal dos últimos desenvolvimentos é a necessidade, a qual é de importância decisiva para o curso que seguiremos, de que as decisões devam ser tomadas após uma discussão nas instâncias diretivas do partido, as quais têm, em conjunto com o partido e os órganismos do Partido, que atualizar sua função e jogar uma papel de liderança no novo curso progressivo do nosso país”.
Stathis Kouvelakis é um filósofo grego e dirigente do setor “Plataforma de Esquerda” existente dentro de SYRIZA, partido de cujo Comitê Central é membro
 
 Tradução para o português: Charles Rosa