Fora cortes. Fica PIBID

João Berkson 24/jun/2015, 14h08

Esta semana começa agitada. Com o anuncio de mais uma repercussão dos cortes de Dilma/Levy. O PIBID (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação a Docência), único no Brasil que atua diretamente na formação de novos professores e na ligação direta entre escolas e academia está na mira do governo que quer construir uma “pátria educadora”.

O PIBID que foi insituido em 2009 já mostrou nos primeiros meses resultados muito positivos tanto na formação dos novos professores brasileiros, quanto no vácuo de assistência estudantil nas licenciaturas e na formulação de novas metodologias de atuação em salas de aula no Brasil inteiro. O PIBID é um marco importante na reestruturação da educação pública básica nacional, ao fazer a ponte entre os estudantes das universidades, com a escola e construindo dessa forma um processo de formação de mais qualidade. Atualmente o programa conta com cerca de 90 mil bolsistas em todo o Brasil distribuído em 284 universidades e mais de 5800 escolas¹.

Porém o último corte de investimentos do governo Dilma não deixou ileso este importante programa. Segundo coordenadores do programa, as bolsas devem sofrer já em julho deste ano um corte de 50% a 90%², um duro golpe na formação dos futuros educadores e na qualidade da educação básica brasileira, que deve atingir centenas de milhares de estudantes universitários e das escolas por todo o Brasil.

O governo tenta alegar que existe pouco dinheiro, e que é necessário “ajustar para avançar”, porém fazem este ajuste sem nem mesmo chegar a discutir o projeto de Imposto sobre Grandes Fortunas, previsto na Constituição, e que já existe em países como EUA. Se isso chegasse acontecer no Brasil esta tributação renderia cerca de 100 bilhoes de reais por ano, segundo especialista³. Mas o governo acaba agindo como um Robin Hood às avessas. Ao mesmo tempo em que aplica seus ajustes fiscais nas camadas populares através do aumento da conta de luz e do preço da gasolina por exemplo, isenta igrejas de pagar impostos e sanciona emenda que dá abertura para a construção do ParlaShopping (projeto de Eduardo Cunha para a construção de um Shopping no parlamento).

Nós do Juntos! manifestamos nosso apoio à luta dos estudantes bolsistas e que também deve ser uma luta das próprias escolas pela manutenção deste programa. Estaremos nos somando a esta resistência ao cortes do governo, da mesma maneira como construímos a greve nacional de universidades federais. Nenhum corte nos direitos sociais passarão! Nenhum centavo a menos.

#FicaPIBID

Assine a petição online: https://secure.avaaz.org/po/petition/Renato_Janine_Ribeiro_Ministro_da_Educacao_Pedimos_que_o_Pibid_nao_receba_cortes_em_bolsas_projetos_ou_acoes/?asFBJfb

 

Referencias

¹https://drive.google.com/file/d/0B7fze9RPhOh8ZmR2aHQxT3AydzhuLWFpUkcyeFRHNVh1dWVV/view

²http://oglobo.globo.com/sociedade/educacao/principal-programa-para-formacao-de-professores-deve-sofrer-cortes-de-50-90-16534812

³http://www.cartacapital.com.br/economia/imposto-sobre-grandes-fortunas-renderia-100-bilhoes-por-ano-1096.html

Vem aí...

Acampamento Internacional das Juventudes em Luta: Rio de Janeiro, abril de 2017