Manifesto Estudantil de Deflagração de Greve na UFMS

Bruno PinheiroCarolina FrasnelliRoberta Ferreira 19/jun/2015, 23h49

A nossa decisão por entrar de greve em 2015 evidencia uma luta histórica da comunidade acadêmica contra a mercantilização do ensino, a privatização da educação e pela falta de assistência estudantil. No campus de Três Lagoas existem muitos discentes trabalhadores, algo que torna quase inviável a dedicação integral à universidade.Temos também muitos estudantes moradores da periferia, acadêmicos que vieram de muito longe cujas famílias não têm quaisquer condições para prestar auxilio financeiro, estudantes mães, etc.

E, para além disso, estudamos em uma das cidades com maior custo de vida no Brasil. Devido ao crescente desenvolvimento industrial, o custo de vida em Três Lagoas é absurdo! Desde o aluguel à alimentação, tudo aqui é caro. A realidade mostra que muitos acadêmicos têm dificuldades de permanência na universidade, gerando significativos índices de desistência, para se ter uma ideia, em 2014, somente 50% dos matriculados em anos anteriores efetivamente se formaram na UFMS.

Por isso estamos em greve contra a falta de assistência Estudantil! Os principais motivos que nos levaram a entrar em greve são: Falta de assistência Estudantil; Por mais professores, salas de aula; laboratórios e projetos de extensão; Reabertura imediatamente do Restaurante Universitário; Moradia Estudantil; Reabertura de editais para bolsa permanência e auxílio alimentação; Contra o descaso, falta de planejamento e de logística do nosso campus; Creche para as estudantes mães; Cultura, lazer e esporte na Universidade.

Pela gravidade que essas questões representam, decidimos deflagrar greve, porque tão importante quanto ingressar, é permanecer para assim transformarmos a universidade!