Todo apoio à Vanessa Couto, perseguida politicamente pela Reitoria da USP!

Juntas 09/jun/2015, 18h41

11194390_1027180643961415_7813820020317125075_o Todo apoio à Vanessa Couto, perseguida politicamente pela Reitoria machista e autoritária de Zago na USP!

Estamos juntas! Mexeu com uma, mexeu com todas!

Abaixo a criminalização do movimento social na USP!

Recebemos com grande revolta a notícia de que Vanessa Couto, militante do Juntas, comandante de nossa Bateria Indignada, está sofrendo processo administrativo da Reitoria da Universidade de São Paulo, junto a outros dois estudantes, Marcela Carbone e Danilo dos Santos, também representantes dos alunos no Conselho Universitário e membros da atual gestão do DCE da USP.

A Reitoria alega que os estudantes devem responder por terem interrompido professores e o reitor em voz alta, gritando por mais democracia e contra o autoritarismo, na sessão do CO do dia 07.04, impedindo que a sessão prosseguisse, e obrigando o reitor Zago a encerrar a sessão.

Na verdade, Vanessa e os demais estudantes estavam reivindicando que pudessem ser ouvidos. O ponto de pauta do CO era o de mudanças no Estatuto da USP e o Reitor se recusava a colocar em discussão a bandeira histórica do movimento social da Universidade, a de uma Estatuinte Livre e Soberana, ignorando o pedido dos estudantes e a manifestação que acontecia do lado de fora da sessão do CO.

Não foi a primeira vez que Zago tratou com desrespeito a nossa companheira. Em um CO no início deste ano, ela reivindicou que o tema dos estupros e abusos sexuais que acontecem na Faculdade de Medicina e em toda USP recebessem a devida atenção da Reitoria e daquele órgão deliberativo. No entanto, teve seu microfone cortado, foi chamada de inquisidora, purificadora e ouviu de membros daquele CO piadas sobre as mulheres vítima de violência na USP (Confira nota do DCE sobre o ocorrido nesta sessão do CO: http://www.dceusp.org.br/2014/12/em-ultimo-co-do-ano-zago-acoberta-denuncias-de-violencia-na-faculdade-de-medicina-e-ainda-ataca-mulheres-representantes-discentes/).

Para o Juntas, é motivo de muito orgulho ter Vanessa como represente dos alunos da USP no CO. Vanessa nunca teve medo de enfrentar o reitor que corta salários dos trabalhadores, retira creches das mães estudantes e acoberta os casos de estupro na Universidade. Ela está sendo perseguida politicamente por ter a coragem e a força necessárias para enfrentar uma reitoria machista e truculenta.

Vanessa não está sozinha. Mexeu com uma, mexeu com todas! Abaixo a criminalização do movimento social na USP! Não aceitaremos nenhum tipo de punição à Vanessa e aos demais companheiros estudantes e funcionários. Faremos tudo o que for necessário para denunciar este caso e lutar contra a criminalização de estudantes e funcionários.

Assine a nota contra o processo administrativo contra os diretores do DCE da USP:
https://docs.google.com/forms/d/1joYv3t0RcDshFKe_SwPlZC7-mLXKE7UMu25Vdd_YXLg/viewform?c=0&w=1