A UNIFESP e a greve nacional da FASUBRA

Jessica Sarilho 31/jul/2015, 15h52

Há quase 2 meses, as trabalhadoras e trabalhadores técnicos administrativos da Universidade Federal de São Paulo aderiram à forte greve nacional da FASUBRA. Entre as reivindicações nacionais e locais estão a suspensão imediata dos cortes na educação, promovidos pelo Governo Federal, paridade entre os técnicos administrativos, docentes e discente nos conselhos e congregações, a flexibilização da jornada de trabalho para 30 horas, contra o assédio e a sobrecarga de trabalho no Hospital São Paulo, contra a EBSERH e a privatização da saúde, entre outras.

A reitoria da UNIFESP desde o início vinha dizendo que apoiava a greve (assim como dizia que apoiava a greve estudantil do campus de Guarulhos). Porém ontem (30), na reunião do Conselho Universitário que trataria do adiamento do segundo semestre, foi deliberado um “plano alternativo de rematrícula” realizado SEM os trabalhadores técnicos administrativos, de forma a desrespeitar e furar uma greve legítima e de força nacional.

Esse “plano alternativo de rematrícula” seria colocado em prática entre os dias 10 e 13 de agosto, pra que as atividades acadêmicas retornem no dia 17. Porém, segundo informações divulgadas, o campus de São José dos Campos já sinaliza que não conseguirá colocar em prática a rematrícula sem os técnicos administrativos, assim como estão em dúvida os campi de Osasco e Diadema.

A reitoria não só desrespeita como tenta deslegitimar a greve dos TAEs, dizendo que caso não haja a rematrícula, os estudantes poderão ficar sem o auxílio estudantil. Mas esquecem de que, além da legitima luta das trabalhadoras e trabalhadores, os estudantes voltarão às aulas sem biblioteca, laboratórios e secretaria.

Todo apoio à greve e mobilização dos técnicos administrativos da UNIFESP e da FASUBRA, contra os cortes do Governo Federal, a tentativa de boicote à greve pela reitoria e por uma educação pública de qualidade.

Jessica Sarilho é estudante de Enfermagem da UNIFESP e militante do Juntos! 

Felipe Simoni é estudante de Ciências Sociais da UNIFESP e militante do Juntos! (https://www.facebook.com/felipinas)

Vem aí...

Acampamento Internacional das Juventudes em Luta: Rio de Janeiro, abril de 2017