São Paulo não está sozinha! Nota do Juntos sobre a repressão de 12/01/16

Juntos 13/jan/2016, 15h28

7-1

Foto: Helio Carlos Mello

No dia de ontem (12/01), no ato contra o aumento da tarifa, a Av. Paulista foi palco de mais uma repressão na cidade de São Paulo. Já na concentração, a Polícia Militar, em um operativo montado entre o governo do estado e a prefeitura, cercava a manifestação por todos os lados. Além de revistar os manifestantes, dificultavam a entrada no local. O que se viu ali foi uma tentativa de amedrontar o movimento. A PM quis obrigar os manifestantes a seguirem em direção ao centro da cidade, mas a manifestação decidiu sair em direção ao Largo da Batata, porque no centro também havia uma emboscada da polícia. Por isso, o movimento não confiou ir.

AomfIH2S4OQ_7ZykAl_9ESBDYIyx-G5gXFaMe7eJn4Gu

Foto: Jornalistas Livres

O que se viu em seguida foi uma verdadeira cena de terror. A PM reprimiu covardemente e de forma criminosa o ato. Os manifestantes foram bombardeados com centenas de bombas de efeito “moral”. Além disso, não havia rota de fuga e os manifestantes foram perseguidos. O direito à manifestação é constitucional.

Em resposta a falta de diálogo de Alckmin e Haddad, o movimento seguirá nas ruas. A estratégia dos poderosos é nos intimidar para nos tirar das ruas. Eles temem que nosso movimento possa crescer como ocorreu em junho de 2013. Não vão nos calar. A força da vitória dos secundas vive em nós!

Diante da brutalidade de ontem, é importante que todos que defendem a democracia e a liberdade de manifestação se posicionem. Não vamos sair das ruas. Chamamos todos a participarem dos atos convocados nas diversas cidades do país. A sociedade como um todo precisa responder nas ruas ao que aconteceu ontem. Precisamos construir um novo Junho.

#AmanhãVaiSerMaior

 

Grupo de Trabalho Nacional do Juntos