Sem cortes e sem demissões: no Ceará tem estudantes de luta

Juntos - Cariri 06/jan/2016, 14h15

*Yslia ALencar

**Enzzo Lima

 

O governo ainda não percebeu que a luta secundarista se fortalece em todo o Brasil. Se não bastasse a proposta de reorganização em SP e de privatização em Goiás os ataques agora ocorrem no estado do Ceará.

As nossas escolas são alvos cada vez maiores para cortes do governo Camilo Santana. É notável o grau de descaso com o ensino médio, se não bastasse o sucateamento das escolas e uma metodologia ultrapassada vemos que os ataques a educação se tornam uma arma contra a juventude, juventude esta que já enfrenta diariamente diversas dificuldades.

O governo Camilo Santana atacará a qualidade na educação com a diminuição da contratação de professores, precarizando os laboratórios de informática e ciência que já são não funcioanm corretamente. Aparentemente o governador não sabe a importância de cada professor dentro do ambiente escolar.

Aparentemente esqueceram toda a luta para avançarmos mais ainda na educação. Sem dúvidas está sendo mais fácil para Camilo e Izolda que foram professores descontruir as vitorias do que agregar novas conquistas.

Usando a justificativa da crise, o governador Camilo Santana age de forma truculenta para com a educação no estado do Ceará. São diversos cortes: de professores, funcionários, verbas para manutenção das escolas, merenda e transporte público escolar. É um verdadeiro retrocesso e sucateamento no ensino médio público no Ceará.

As últimas medidas tomadas pelo governador para o corte de custos, vão desde a precarização do funcionamento de laboratórios de informática e ciências, os quais não contaram com um coordenador responsável pelo ambiente, até a extinção dos PCA’s (Professor Coordenador de Área), responsáveis por auxiliar a área pedagógica da escola. Coordenadores como o do projeto Mais Educação serão cortados, a função será delegada ao coordenador da escola, sobrecarregando o seu trabalho e precarizando o funcionamento do projeto por falta de um profissional especifico realizando a coordenação do mesmo. É dado também os primeiros passos para o fim do projeto Diretor de Turma. Haverá a redução de 1 hora na carga horária dos DT’s, além de que o projeto só será aplicado para 2/3 das turmas de ensino médio. Corre-se o risco de perdermos os DT’s, que tanto auxiliam os estudantes em sua vida acadêmica e em sua formação como cidadãos dentro e fora da escola.

Querem que “nos viremos” com remendos na educação, de “quebra-galhos”. Os servidores que temos ocupando as vagas são insuficientes e quase não dão conta da demanda em salas de aulas que por vezes ultrapassa os 40 estudantes. Há professores ocupando áreas a qual não são especializados/formados, professores dobrando-se em mil para suprir outras áreas, evidentemente não culpa dos mesmos, mas do total descaso com a educação e a profissão de educador tão desvalorizada neste país.

Precisamos dar um BASTA JÁ, como diz o poeta “um país se faz com homens e livros” e nós do Juntos! estamos comprometidos com esta luta.

#NenhumProfessorAMenosNasEscolas

#Nenhum CentavoAMenosNasEscolas

 

*Yslia é militante do Juntos! e estudante da EP Virgilio Távora

**Enzzo é militante do Juntos! e estudante da Escola Adrião do Vale Nuvens

Vem aí...

Acampamento Internacional das Juventudes em Luta: Rio de Janeiro, abril de 2017