Governo Federal anuncia novos cortes: não aceitaremos pagar por essa crise

Juntos 21/fev/2016, 19h43

Nesta semana, a equipe econômica do Governo Federal anunciou um novo corte bilionário no Orçamento de 2016, atingindo principalmente os setores da Educação, Saúde e funcionalismo público. São R$ 23,4 bilhões contingenciados para se cumprir os encargos da dívida pública, jamais auditada conforme prevê a Constituição.

Dando continuidade ao plano de “austeridade permanente” iniciado pelo seu antecessor Joaquim Levy, o ministro da Fazenda Nelson Barbosa fez a alegria do “mercado” ao apresentar o projeto de Reforma da Previdência que será levado ao Congresso e a limitação dos gastos do governo, apertando o torniquete da Lei de Responsabilidade Fiscal.

Essas medidas de inequívoco caráter neoliberal significam concretamente uma piora nas condições de prestação de serviços públicos para a maioria do povo pobre e trabalhador. Serão mais filas nos hospitais, mais classes lotadas, mais déficit habitacional, mais sufoco nos transportes,mais arrocho, mais interrupções de programas culturais… Em suma, menos direitos, ao contrário do que as ruas reivindicaram em junho de 2013 e ao contrário do que prometia a campanha eleitoral de Dilma Roussef.

Isso também significa que devemos redobrar nossos esforços de mobilizar e organizar a indignação dos setores mais afetados por essa política econômica irresponsável. A juventude trabalhadora e estudantil não aceitará que mandem mais essa fatura para a nossa conta.

Que os ricos paguem pela crise! Que se taxem as grandes fortunas e que a dívida pública seja finalmente auditada!