A escola também tem que ser nossa: #VaiTerShortinhoSim

Juntos nas EscolasJuntas 01/mar/2016, 15h24

Porto Alegre. 39 graus. Mais de 300 meninas da maior escola da cidade se únem para reinvindicar um direito que deveria ser básico: não sentir calor. A repercussão da mobilização das estudantes trouxe à tona um debate existente entre diversas escolas públicas e privadas de todo país: a famigerada proibição do shortinho é a ponta do iceberg do machismo que a escola reproduz.

A humilhação de ser comparadas com “putas”, de ouvir que “os meninos não vão conseguir prestar atenção na aula” ou que “escola não é lugar para isso” nos faz questionar: para isso o quê, cara pálida? O que se esconde atrás da probição dos shortinhos na escola, é na verdade a hiperssexualização dos corpos femininos, a naturalização da cultura do estupro, na qual a culpa é sempre colocada no colo da mulher.

Nós do Juntas! e do Juntos! nas Escolas fazemos um chamado para todas as meninas do Brasil a se levantarem contra as regras que nos humilham e nos privam a liberdade. Lutar por uma escola para as mulheres, é fortalecer a luta por uma educação de qualidade, onde todas e todos tenham espaço e voz. Assim como também reiteramos a solidariedade às meninas da escola Anchieta que têm sido fortemente atacadas nas redes por machistas de plantão

Não tentem segurar a nova geração de feministas, nossa primavera não tem volta.

Vai ter shortinho na escola, só não vai ter mulher calada frente ao machismo naturalizado!

Vem aí...

Acampamento Internacional das Juventudes em Luta: Rio de Janeiro, abril de 2017