Jovens argentinos prestam solidariedade às famílias dos jovens de Santa Maria

01/fev/2013, 18h41

 

A juventude do Movimiento Socialista de los Trabajadores da Argentina (MST), divulgou uma nota em solidariedade às famílias dos jovens que morreram na tragédia de Santa Maria. Relacionando o caso da Boate Kiss com o Massacre de Cromagñón, os jovens argentinos engrossam nossos gritos por justiça.

Segue a nota:

A Juventude Socialista do MST se solidariza com os familiares das vítimas da Kiss no Brasil: “Para o poder político e os empresários, a vida dos jovens não vale nada”.

Diante dessta nova catástrofe ocorrida em uma boate, desta vez no Brasil, o coordenador nacional da Juventude Socialista do MST, Mariano Rosa, disse: “O acontecido na boate Kiss é uma cópia carbono de Cromañón. E independentemente das comparações entre a resposta de Dilma e este episódio e o kirchnerismo diante Cromañón – de insensibilidade e silêncio total-, no geral, o que se expressa nitidamente é como a corrupção de todos os setores da institucionalidade capitalista é paga com centenas de vidas jovens: alvarás vencidos, falta de saídas de emergência, ausência de programas de prevenção de incêndios. Uma barbaridade”

O dirigente da juventude da força de Vilma Ripoll e do deputado Alejandro Bodart destacou: “Uma vez mais fica em evidência que para o poder político que não controla nada, cuja polícia e funcionários certamente receberam suborno dos empresários da Kiss, para todos eles, a vida dos jovens não valem nada”.

Para terminar, Mariano comentou: “Como em Cromañón, como em Once, em Kiss também fica clara a podridão de um modelo social que não oferece nenhum futuro para a juventude. Por isso, transmitimos nossa solidariedade aos familiares das vítimas, nos colocamos a disposição e nos comprometemos a organizar atividades, na Argentina, em apoio a exigência de justiça que somente será conquistada com a mobilização jovem e popular.