Sobre o dia que mudou BH

16/jun/2013, 12h38

*Por Judson Marques

Sobre a manifestação pela redução das passagens de BH hoje: O sentimento que eu tenho ao chegar em casa é o de satisfação plena. Não dá mais pra negar: o coração da juventude clama por revolução. A juventude está revigorando um conceito tão batido e estigmatizado, a juventude está revolucionando a própria revolução, ela quer ocupar as ruas. A juventude entendeu que o poder que emana das ruas é imbatível. A juventude quer mudança, e pelo que eu identifiquei nos semblantes, na energia, nos gritos e nos diálogos, posso afirmar que definitivamente a luta não é por 10, 20 centavos.

Foto: Luiz Correia

Foto: Luiz Correia

A luta é muito além do valor absurdo que pagamos por um transporte público de péssima qualidade, a luta é pelo direito a cidade, a luta é por um outro futuro, diferente daquele a qual nós sempre estivemos condicionados, por medo de questionar, por medo de mudar. Hoje era apenas pra ser uma reunião para articularmos um ato pela redução da tarifa, mas conseguimos reunir 8 mil e já semeamos uma esperança de dias melhores pelas ruas de BH. Manifestação pacífica sem maiores problemas. Vi muitas pessoas aplaudindo o movimentos nas sacadas de prédios, lojas e etc. Não estamos sozinhos nessa caminhada!

O movimento não é perfeito, precisa amadurecer muito, porém, creio que a formação dessa juventude que está despertando acontecerá naturalmente na movimentação, na tomada de consciência das amarras que nos prendem. Presenciei inúmeros relatos de companheiros que estavam frequentando manifestação pela primeira vez na vida.

Foto: Judson Marques

Foto: Judson Marques

Uma companheira relatou: ” É minha primeira manifestação, decidi sair do facebook e vim pra rua. Facebook não resolve nada, na rua eu pelo menos posso ajudar de alguma forma. ” Vocês tem noção do que isso representa? A juventude despertou, por mais que existam alguns equívocos, discordâncias dentro do movimento, a juventude está acordada, estremecendo aqueles que pareciam gigantes quando estávamos ajoelhados.

As coisas se inverteram, agora nós somos protagonistas da nossa história. O movimento demonstra uma pluralidade grande de ideias, todavia, destaca-se pela unidade. Lacerda, hoje foi apenas um aperitivo do que está por vir! Se a tarifa não baixar, BH vai parar! Um novo tempo começou no Brasil, e eu tenho muito orgulho de está fazendo parte dessa história. Em tempos de Copa: a juventude indignada tem que ocupar a maior arquibancada do Brasil: as ruas!

* Judson é estudante de Humanidades na UFVJM e militante do Juntos em Minas Gerais.

Vem aí...

Acampamento Internacional das Juventudes em Luta: Rio de Janeiro, abril de 2017