I Assembleia Nacional do Juntos: dois anos organizando a indignação para construir outro futuro

19/jul/2013, 11h30

1004623_650471168299033_747838584_n Realizamos a primeira Assembleia Nacional do Juntos neste último domingo, 14 de julho, um dia antes de completarmos dois anos de fundação do nosso movimento. Foi um grande momento! Pudemos reunir cerca de 700 pessoas convocadas com apenas duas semanas de antecedência. Não tivemos à disposição o financiamento de nenhuma fonte que não fosse os próprios recursos de nossos ativistas. Com certeza, a superação das dificuldades organizativas – como o deslocamento das regionais mais distantes, do Norte e Sul do país – só foi possível porque todos ali estavam convencidos de que a ação política coletiva é a nossa grande arma contra tudo que há de errado no país e no mundo.

As jornadas de junho, batizadas por alguns de Copa das Manifestações, além de importantes vitórias objetivas (como a própria redução das passagens) trouxeram uma conquista incrível: os brasileiros tiveram orgulho de sair às ruas e lutar por seu país. Esta confiança no futuro, na possibilidade de transformar tudo que está aí a partir da ação da maioria nas ruas mudou o nosso presente e com certeza mudará nosso futuro. O brasileiro reaprendeu a lutar, relembrou-se que as principais conquistas democráticas em nosso país foram fruto de grandes batalhas políticas, que reuniram milhões nas principais avenidas deste Brasil imenso. Dessa forma, a mobilização dos indignados mostrou-se como principal via para se conquistar melhores condições de vida. Jovens, trabalhadores, cidadãos de toda parte apostam hoje que protestar pode ser a melhor forma para conquistar direitos.

O Juntos, desde sua fundação em julho de 2011, acreditava que cada vez mais os interesses das classes dominantes entrariam em colisão com a vontade da maioria, de maneira cada vez mais explícita e acelerada. A necessidade de manutenção de seus privilégios, diante de uma grave crise econômica, fez com que esta casta de privilegiados colocasse em vigor planos cada vez mais perversos que rifam diariamente os direitos da maioria da população. No mundo, e felizmente também no Brasil, a população tomou as ruas para impedir que a barbárie tomasse conta da política. Como proposto por alguns em nossa Assembleia, a política precisava deixar de ser “caviar” (coisa para uma pequena elite) e deveria se tornar “feijão com arroz”, ou seja, assunto e prática do dia-a-dia da maioria do povo.

O Juntos apostava que no Brasil a política poderia rapidamente tornar-se feijão com arroz. Sendo assim, participamos das principais lutas que ocorreram nestes dois últimos anos. Foram muitas, desde campanhas nacionais a inúmeras atividades localizadas. As jornadas de junho significaram para os ativistas do Juntos alegria em dobro. Primeiro, porque finalmente o Brasil entrava na rota das grandes mobilizações mundiais, passamos a vivenciar um novo momento para o ativismo político em nosso país com maiores possibilidades de se conquistar verdadeiras mudanças. Segundo, porque o Juntos sempre defendeu que o Brasil logo em breve estaria entre os países com grandes manifestações, e estávamos preparadíssimos e ansiosos para a chegada desta etapa.

A Assembleia Nacional, portanto, tornou-se uma necessidade. Não poderíamos permitir que as possibilidades conquistadas em junho perdessem sua força. Apostamos tanto tempo nesta nova situação política que tínhamos responsabilidade em não permitir que as jornadas de junho tornassem-se apenas atualizações antigas em nossa timeline. Convocamos a primeira Assembleia Nacional do Juntos para contribuir na organização e para dar continuidade à luta dos indignados no Brasil.

Como dito acima, foi uma grande momento. Passaram por nossa assembleia cerca de 700 jovens, reunimos mais de 60 cidades diferentes espalhadas por todo Brasil. Juntamos mais uma vez os paraenses e os gaúchos, os nordestinos, os candangos e os cariocas, e centenas de paulistas tanto do interior quanto da capital. Havia muita diversidade de origem, de experiência e de perfil de ativismo, mas uma convicção em comum: não podemos parar, é hora de nos organizarmos ainda mais para seguir lutando cada vez mais fortes.

Pudemos contar também com a solidariedade, sempre ativa e conectada, da juventude do MST Argentino (através da presença da Luciana Echevaria em nosso debate) e através das saudações à distância dos companheiros da Venezuela e do Perú. Tais presenças enriqueceram ainda mais nossas mesas de debate ao longo do dia. Mas, o grande momento de nossa assembleia foram os grupos de discussão. Muito cheios e ricos em propostas os grupos puderem aprofundar avaliações, diversificar as formas de atuação do Juntos e unificar importantes iniciativas. Poderemos a partir de agora fundar novos núcleos e equipes do Juntos, multiplicando o alcance do nosso ativismo. E ainda mais, fortaleceu-se entre nossos militantes a convicção de que o Juntos precisa também se apresentar como alternativa de organização para a juventude trabalhadora, que não confia nas formas tradicionais de organização sindical, mas está disposta a lutar contra a ordem estabelecida e construir outro futuro. Está também deve ser uma tarefa do Juntos.

A I Assembleia Nacional do Juntos aprovou como bandeiras as “Seis Causas do Juntos” divulgadas na Carta de São Paulo. Também reafirmamos a necessidade de organizar a luta dos indignados no Brasil, sejam eles secundaristas, universitários, jovens trabalhadores, mulheres, negr@s, ciberativistas, e realizamos o lançamento de nossa cartilha “Organize sua Indignação”. Indicamos também a realização de mais um Acampamento Internacional da Juventude entre os verões de 2014 e 2015. E, finalmente, nos somamos com força à campanha pela liberdade de Snowden e contra a espionagem a serviço dos interesses imperialistas, cujas iniciativas constam na declaração Campanha permanente pela liberdade de Edward Snowden.

Nossa assembleia foi um grande passo para novas e ainda mais importantes batalhas. Saímos deste espaço com uma importante responsabilidade, fortalecer a luta dos jovens indignados no Brasil e organizar a luta por outro futuro!

Juntos Brasil