Contra o aumento em São José do Rio Preto

Lucas Villela Canôas 16/mar/2016, 12h35

O prefeito deu a desculpa que não tem dinheiro para abaixar a tarifa de ônibus, que custa R$3,10 em São José do Rio Preto, mas tem seu valor “reduzido” para R$2,60 pelo subsídio, que é nosso dinheiro destinado à empresa de ônibus, mesmo sem saber o valor real da passagem! Da onde veio o valor R$3,10? Por que Valdomiro diz que não tem dinheiro? O que isso nos revela?

Valdomiro Lopes (PSB), foi acusado de receber 1 milhão de reais em propina da empresa do ônibus e de ganhar “presentes” da Constroeste, curiosamente as duas empresas lucram muito com os serviços prestados para a prefeitura, como é o caso da destruição da Praça Cívica e agora mais recente a tarifa de ônibus. O que seria certo, é ser feito um estudo sobre o preço real da tarifa, uma auditoria para sabermos o quanto realmente custa!

Com o aumento da tarifa, lazer, educação, saúde e cultura ficam cada vez restritos!

Com o aumento da tarifa, lazer, educação, saúde e cultura ficam cada vez restritos!

Se soubéssemos o valor da passagem, saberíamos quanto é o lucro da empresa de ônibus, coisa que também não sabemos. É uma verdadeira caixa preta! Enquanto eles ganham valores desconhecidos em nossas costas, deixamos de ir em eventos culturais, pra escola, pro hospital…tudo porque muitas vezes não temos R$5,20 pra ir e voltar! Se a cidade fosse nossa, o ônibus custaria o que custa? A cidade atualmente pertence aos grandes empresários de ônibus e grandes construtoras, que gerenciam boa parte de nossa vida: Nosso acesso à cidade pelo transporte, nosso lixo, nossa infraestrutura (obras em geral). Esse modelo de gestão de cidade, que trata ela como um balcão de negócios, onde o prefeito é apenas um gerente para garantir um lucro cada vez maior para os grandes empresários, não melhora nossa vida, muito pelo contrário, nos expulsa cada vez mais da cidade e faz com que nosso dinheiro não vá para onde deveria ir.

O que temos hoje, é a empresa de ônibus dizendo quanto custa a tarifa, o prefeito simplesmente aceitando e assinando um decreto (Curiosamente, a empresa que faz o transporte em São José do Rio Preto, financiou a campanha do prefeito, arcando com os custos de transporte da campanha do então candidato à prefeito!) para sermos assaltados a cada vez que precisamos do busão. Ele alega que a prefeitura não tem dinheiro para subsidiar a tarifa e jogou nas nossas costas mais 30 centavos (de novo), mas isso é apenas uma cortina de fumaça para fugir da ideia de auditoria do preço da passagem!

O corte de gastos da prefeitura no subsídio (valor repassado para “abaixar” a tarifa), mostra a política de transporte que favorece o empresário de ônibus e prejudica a população, sendo que a desculpa de que “não tem dinheiro” é praticamente um mantra de vários prefeitos, talvez foi a frase mais ouvida em 2013! Mas depois que as tarifas abaixaram, ficou evidente que tem dinheiro sim, mas para os empresários em primeiro lugar e não para a população que paga a conta! Em São Paulo por exemplo, onde não teve auditoria do preço da passagem, os valores do subsídio estão absurdamente altos e ainda assim a passagem só sobe!

O caso do aumento da tarifa e da Praça Cívica, mostra que a questão urbana na cidade é tratada como negócio, foi feito para lucrar e não para melhorar nossas vidas! Muitos projetos alternativos foram propostos para que a praça continuasse a existir, mas o prefeito preferiu destruir a praça para beneficiar a constroeste, agora ele prefere aumentar a tarifa para privilegiar os empresários de ônibus! Temos um ato marcado no dia 18 de março, vamos?

O prefeito age como um gestor dos empresários da cidade, a cidade por sua vez é tratada como um balcão de negócios, onde os grandes empresários participam ganhando e a gente perdendo! Precisamos de uma cidade pensada para nós e não para os empresários!

Vem aí...

Acampamento Internacional das Juventudes em Luta: Rio de Janeiro, abril de 2017