Teremos mais uma cassação em Campinas?

Juntos Campinas 09/jul/2015, 18h34

Nos últimos dias, o ministério público pediu a cassação do prefeito Jonas Donizette (PSB), por uso político dos cargos comissionados, também chamado de troca de favores ou “uma mão lava a outra”. O prefeito anterior, Hélio de Oliveira Santos, foi cassado comprovadamente por corrupção, muitos cargos comissionados desse prefeito, foram nomeados por Jonas para assumir importantes responsabilidades.

Segundo Maquiavel, no livro “O Príncipe”, podemos medir a inteligência de um homem por quem ele tem a sua volta, Jonas é um cara esperto.

Mas quem é Jonas?

Em 2012, eu já conhecia o Jonas, ele foi eleito deputado federal em 2010 (ficou lá até 2012, quando foi eleito prefeito de Campinas), ele como deputado, não representou os interesses da população, votando pelo código florestal, pela terceirização (também chamado de privatização) de 33% dos leitos do SUS, não estava presente na votação contra o trabalho escravo, que vai de encontro aos grandes latifundiários do Brasil, pois eles ainda usam trabalho desse tipo!

Ele após ter sido eleito, continuou fazendo o que sempre fez, não representando o povo! Jonas aumentou o preço da passagem de ônibus (por que a passagem sempre aumenta?), privatizou mais a saúde, educação e outros direitos.

Me lembro de andar pelo meu bairro em 2012 (durante a eleição) e ouvir um senhor dizendo “que Jonas iria mudar a cidade”, entrei na conversa e concordei dizendo “mudará para pior”, o senhor ficou bravo, pois acreditava no candidato que conhecia apenas por ser radialista.

Quem está a sua volta, Jonas?

Jonas pode nomear mais de 800 pessoas, quando quiser e tirá-las quando quiser, isso lhe dá poder de conseguir apoio político com troca de favores, que na realidade era para ajudar o prefeito a realizar o seu trabalho para a população, vira um enorme guarda-roupa, cheio de cabides.

Esses cabides, penduram pessoas como Rogério Menezes, que foi candidato pelo Partido Verde em 2012. Após o primeiro turno, ele declarou apoio ao Jonas e logo em seguida, foi nomeado secretário de Jonas, o mesmo aconteceu com o candidato Dr. Campos, do PRTB.

Mas o guarda roupa é grande, e cabem os amigos Arly de Lara Romêo e Elcio Batista, ambos do partido do Jonas (PSB)! Elcio não foi reeleito e foi nomeado para cuidar das Administrações Regionais (AR), que deviam limpar terrenos do governo, deixar as praças habitaveis e coisas parecidas. Já Arly, é presidente do hospital Beneficiência Portuguesa, o qual tinha uma dívida de 10 milhões de reais com a SANASA, curiosamente, Jonas nomeou Arly para ser presidente da SANASA!

Falando na SANASA, essa empresa pública de Campinas, foi um dos lugares que sofreu a maior roubalheira da história da cidade, na época, o prefeito Hélio, nomeou Fernando Pupo para administrar essa autarquia (empresa pública), onde milhões de reais foram desviados. Atualmente, Fernando Pupo é secretário de Jonas, na pasta de desenvolvimento urbano!

No caso do Jonas Donizette Ferreira, podemos dizer que ele está muito bem acompanhado, especialmente porque o Chefe de Gabinete do Prefeito, é Michel Abrão Ferreira, pelo nome, já é possível pensar em parentesco, de fato. Michel é seu sobrinho!

A política brasileira está recheada de casos como esse, que se parecem muito com nosso período colonial, onde um “coronel” tinha seus “agregados”, que faziam seu trabalho sujo! Mas temos alguma alternativa?

Soluções! (?)

Poucos prefeitos já colocaram essa ideia em prática, mas já pensou a população escolher quem serão os secretários que cuidaram da política pública municipal do meio ambiente, educação, transporte e todas as outras pastas? Algumas cidades o prefeito não tem o poder de nomear quem ele quiser, pois a população escolhe quem ocupará esses cargos, que podem ser retirados a qualquer momento!

Por mais democracia real!

Sobre a privatização em Campinas:
http://juntos.org.br/2015/03/direitos-nao-sao-mercadorias-contra-a-privatizacao-em-campinas/

Sobre o aumento das tarifas:
http://juntos.org.br/2014/07/por-que-a-tarifa-sempre-aumenta/

Vem aí...

Acampamento Internacional das Juventudes em Luta: Rio de Janeiro, abril de 2017